HISTÓRIA 

No decorrer de 110 anos de história, o Clube Atlético Ypiranga tornou-se um dos locais de entretenimento mais tradicionais e procurados da Capital. Entidade beneficente, assistencial e desportiva, caracteriza-se como uma Sociedade Civil sem fins lucrativos, com personalidade e patrimônio distinto do de seus associados, com 28 mil metros quadrados de área destinada aos esportes, à cultura e ao lazer, que comportam confortavelmente mais de 3.500 sócios titulares,

que formam uma população atualmente estimada em 8.000 pessoas.

        
Suas dependências, incluem ginásios cobertos, campo de futebol equipado com gramado artificial, quadras de tênis, quadras de squash, quadras poliesportivas, bocha, boliche, salão de jogos, gramado, playground, piscinas para adultos e crianças, complexo aquático aquecido, salas para condicionamento físico, departamento médico, centro de estudos e biblioteca, brinquedoteca, restaurante, lanchonetes, churrasqueiras, salão de convenções, salão nobre e estacionamento para 200 carros.

O CLUBE

DROPS SOBRE A NOSSA HISTÓRIA

DEPARTAMENTO
DE PATRIMÔNIO

 

O Departamento de Patrimônio, prestigiando os antigos e atuais associados, coloca à disposição dos sócios, para consulta ou para matar a saudade, inúmeras fotos e documento antigos, sobre acontecimentos sociais e esportivos, os quais se encontram, à disposição dos interessados, na sala de estudos e biblioteca Suzete Carvalho. 

BANDEIRA ALVINEGRA
 

A bandeira  do Ypiranga com suas litras alvinegras foi inspirada na bandeira do Estado de São Paulo, que apresenta 13 listras pretas e brancas.

TÍTULOS
 

O Ypiranga nunca deixou de disputar um campeonato, mas jamais conquistou o título, mas várias vezes esteve perto do título. Esses campeonatos foram o de 1913, quando aspirou seriamente ao título da Liga, o de 1916, em que chegou a ser talvez o melhor time do 1° turno, depois no certame de 1924 o Ipiranga empatou a Taça Ballor, por ter se classificado no primeiro posto ao lado de mais dois clubes Corinthians e Paulistano no primeiro turno. Em 1935 e 1936, na Apea, durante a cisão, o Ypiranga empatou o 1° posto com a Portuguesa de Desportos e ambas as vezes não teve sorte, pois perdeu o desempate.

CELEIRO DE CRAQUES
 

O Ypiranga foi o único time que em 1950  vendeu 10 jogadores. Osvaldo, para o Bangú. Giancolli, Reinaldo, Rubens e Válter para o Corinthians, Dema, Liminha e Silas para o Palmeiras; Bibi para o São Paulo. Além desses, nomes como Formiga, Grané, Friendereich, Bororó, Dionisio, foram grandes craques do passado que pertenceram as lides ipiranguistas.

A PRIMEIRA DIRETORIA
 

A primeira reunião do Clube aconteceu na residência de Manoel Augusto Marques, à rua Sete de Abril, em que foi eleita a seguinte

     DIRETORIA
     Presidente: Antonio Geraldo de Freitas
     Vice-presidente: José Mota
     Primeiro secretário: Alberto Travoglio
     Segundo secretário: Edgard
     Messemberg
     Primeiro tesoureiro: Albino C. Pinheiro
     Segundo tesoureiro: Nicolau Avelardi
     Mestre sala: Carlos Porto
     Diretores esportivos: Ricardo Thiele,
     Alfredo Thiele e Joaquim Antunes

1919
 

O Ypiranga vence o Palestra por 6 a 1 na Inauguração do Parque Antártica.

BENJAMIM

O Clube Atlético Ypiranga disputou o primeiro campeonato em 1910,  quando recebeu o apelido de Benjamim, por ser a mais nova agremiação do torneio. Com o tempo, todos outros clubes desistiram do futebol, tornando-se o Ypiranga conhecido por Vovô, por ser o mais antigo da Federação.

DESPEDIDA DO CAMPEONATO PAULISTA:
14 DE DEZEMBRO DE 1958

 

O CAY e Jabaquara empatam com o  placar de 3 a 3. Este foi o último jogo oficial do Ypiranga pelo Campeonato Paulista.

CARLOS PAETA, YPIRANGUISTA DE VERDADE
 

O conhecido Descobridor de Craques, Carlos Paeta, militou no Ypiranga desde 1913, segundo Pedro Antonio Noschese. Era um verdadeiro filho do Ypiranga.

O PRIMEIRO TIME
 

A primeiro equipe que disputou Campeonato Paulista defendendo as tradicionais cores ypiranguistas era composta por Constantino, Marques e Pelegrino, Watzke, Ricardo Thiele e Arnaldo Amphilóquio, Gaeda, Alfredo Thiele, Aguiar e Pedro Paulo.

O PRIMEIRO CAMPO
 

O primeiro estádio batizado de “Campo do Ypiranga” se localizava na Água Branca e a inauguração, realizada em 22 de dezembro de 1918, com uma partida entre CAY x Palmeiras.

ESTÁDIO PROF. NAMI JAFET
 

Inaugurado  em 1º de maio de 1932 com o CAY vencendo o São Bento por 3 a 0. Inicialmente com entrada pela rua dos Ituanos e após reforma pela rua dos Sorocabanos.

FALANGE YPIRANGUISTA
 

Uma das primeiras torcidas uniformizadas a surgir foi a “Falange Ypiranguista” em 1939.

CARLOS JAFET
 

Um dos mais importantes presidentes do Clube Atlético Ypiranga, em suas gestões como presidente conseguiu reerguer o Clube que até então sofria com mudanças de endereço, dificuldade para se manter. Quando foi eleito pela primeira vez, Jafet se deparou com um Clube com menos de 300 associados, e ele e sua diretoria trabalharam em prol de reformulações que possibilitaram o aumento do número de sócios. Carlos também retomou as relações com os fundadores do Ypiranga que estavam afastados, além de colocar o Clube, mais uma vez em, em plena ascensão.  A ele e sua família também se deve a doação do terreno onde o Clube funciona desde o inicio da década de 1960.

                                                          10 DE DEZEMBRO DE 1950
 

Acontece o último jogo do CAY no Estádio Nami Jafet. A equipe venceu o Juventus pelo placar de 2 a 1. Nos anos seguintes, o CAY mandou seus jogos no Pacaembu, Parque Antártica e, alguns, na rua Javari.

© 2016 - CAY. Desenvolvido por 8Cria.